A dramática história dos irmãos Naves volta a ser encenada em Uberlândia

“O Caso dos Irmãos Naves”, considerado o maior erro do judiciário brasileiro, volta a ser encenado em Uberlândia, no Teatro Municipal, nos dias 27 e 28 de julho, pelo grupo EmCena de Teatro. As apresentações acontecem às 20h30 e os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). Se levar um brinquedo novo, paga-se meia-entrada. O caso foi dramatizado pelo grupo para contar a história de luta, sofrimento, fé e cumplicidade da família de Araguari, a 35 km de Uberlândia.

O fato ocorreu em 1934, quando a pequena cidade interiorana do Triângulo Mineiro foi cercado por boatos de que Benedito Pereira Caetano havia desaparecido após vender sacas de arroz e lucrar cerca de 90 contos de réis. O sumiço de Benedito foi o estopim para um crime sem solução e o mártir da família Naves injustiçado pela acusação de ter matado e roubado o comerciante que era primo dos irmãos Joaquim e Sebastião Naves.

“O espetáculo leva aos palcos a crueldade da ditadura em oposição à religiosidade e união da família mineira, com ênfase na temática jurídica”, afirmou o diretor geral do grupo Thiago Scalia. O diretor, que também é dramaturgo, interpreta o irmão Joaquim Naves.

A adaptação da história para o teatro levou mais de dois anos de pesquisas feitas no arquivo público de Araguari, no processo judicial do caso e em relatos de pessoas que viveram o drama da família. O texto da peça é assinado pelo Juiz Federal do Trabalho, Henrique Macedo, que se baseou em autores renomados do direito, como Cesare Beccaria, para apresentar a realidade nos fatos jurídicos narrados.

“O Caso dos Irmãos Naves” retrata o drama vivido pelos dois irmãos araguarinos condenados injustamente por um crime de latrocínio que não cometeram. A verdade veio à tona em 1952 com o reaparecimento de Benedito, encontrado vivo em um sítio em Nova Ponte, Minas Gerais.

O espetáculo já foi apresentado para mais de 15 mil pessoas nas cidades de Araguari, Uberaba, Araxá, Patos de Minas, Belo Horizonte, Catalão (GO) e Porto Alegre (RS), e premiado em dois festivais nacionais de teatro.

Grupo EmCena

Composto por 19 profissionais, sendo 11 atores profissionais e amadores, além de seu corpo corpo técnico, cinco especialistas em maquiagem cênica, cenografia, iluminação, sonoplastia e audiovisual, além de três produtores internos, sendo um artístico e dois executivos. A direção do espetáculo é da advogada e atriz Glenda Mara e a direção geral do grupo do dramaturgo Thiago Scalia, diplomado em dramaturgia pela Universidade de Évora em Portugal. A adaptação do roteiro é de autoria do dramaturgo e Juiz Federal, Henrique Macedo.

FOTO: Divulgação

IRMÃOS NAVES1

Read More