Eleições de 2016 terão o retorno das cédulas de papel

POR: Margareth Castro

Nos últimos 19 anos, as eleições no Brasil ganharam credibilidade e agilidade na apuração com a implantação das urnas eletrônicas. Neste ano, cartórios eleitorais de vários municípios deram início à campanha para o cadastro de biometria dos eleitores, na tentativa de modernizar ainda mais o processo eleitoral, mas, de acordo com nota divulgada nesta segunda-feira, 30 de novembro, pelo Tribunal Superior Eleitoral, as eleições de 2016 serão manuais, ou seja, o eleitor vai ter que usar cédulas de papel para escolher prefeitos e vereadores dos 5.570 municípios brasileiros.

Na nota, o TSE justifica que o corte no orçamento de R$ 428.739.416,00 irá prejudicar a compra e manutenção dos equipamentos necessários para a execução do pleito do próximo ano. O texto prossegue afirmando que “a demora ou não conclusão do procedimento licitatório causará dano irreversível e irreparável à Justiça Eleitoral”. Isto porquê a licitação para a aquisição de urnas eletrônicas já está em curso e a contratação deveria ser concluída até o fim de dezembro, comprometendo uma despesa de R$ 200 milhões.

A portaria publicada no  “Diário Oficial da União” que informa o corte no orçamento do Judiciário, no total de R$ 1,7 bilhão, é assinada pelos presidentes dos tribunais superiores. Na nota, o TSE não informa se o uso de urnas eletrônicas voltarão a ser usadas após as eleições de 2016.

FOTO: Divulgação

Read More